Voltar

Forças de Operações Especiais fazem adestramento

 

Rio de Janeiro (RJ) – Militares do Comando de Operações Especiais (C Op Esp) estão em constante adestramento para atuar durante os Jogos Rio 2016, em caso de ataques terroristas ou com agentes químicos, biológicos, radiológicos e nucleares.

 

A equipe de Comunicação Social do CDS Deodoro acompanhou a atividade de uma Força-Tarefa de Operações Especiais, composta por elementos do 1º Batalhão de Forças Especiais e do 1º Batalhão de Ações de Comandos, realizada no Forte do Camboatá, em Guadalupe, antiga sede das Forças Especiais do Exército Brasileiro. A ação consistiu numa progressão em ambiente rural e urbano, focando, sobretudo, na ação de choque contra grupos terroristas.  

 

A preparação das Forças de Operações Especiais (F Op Esp) iniciou-se em meados de 2015, sendo que, nos últimos seis meses, de forma contínu e com a Aviação do Exército, as F Op Esp estão de prontidão para qualquer eventualidade nos Jogos Rio 2016.

 

Para os Jogos, o Ministério da Defesa desdobrou um Comando Conjunto de Prevenção e Combate ao Terrorismo (CCPCT) e diversos Centros de Coordenação Tático Integrado (CCTI), sendo um para cada vênue Olímpica, totalizando mais de dois mil militares envolvidos. O CCPCT e os CCTI são estruturas já consagradas e testadas ao longo de mais de uma década, em todos os Grandes Eventos que o Brasil sediou, como os Jogos Mundiais Militares, a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e a Jornada Mundial da Juventude.

 

Segundo o Coronel Marcelo Gonçalves de Jesus, Diretor do CCTI do CDS Deodoro, o formato funcionou positivamente, em especial, por multiplicar esforços com a integração de diversas capacidades interagências, tanto no assessoramento, quanto na coordenação para o emprego das F Op Esp. O militar concluiu: “A interagência está sendo extremamente importante para o sucesso dos procedimentos de prevenção e combate ao terrorismo durante os Jogos”.