Voltar

CDS Barra entra na fase final das operações

 

Rio de Janeiro (RJ) – O Comando da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), responsável pelas ações de defesa e proteção de estruturas estratégicas na região da Barra da Tijuca, durante os Jogos Rio 2016, vai se despedindo da missão com o espírito do dever cumprido.

 

Para a 12ª Brigada, o assunto Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 começou em 1º de junho de 2016, quando houve a designação para compor o Comando de Defesa Setorial Barra (CDS Barra). Dessa forma, iniciou-se o preparo das tropas que seriam empregadas para garantir a segurança na região, onde se concentraram 52% das competições dos Jogos Olímpicos e 80% dos Paralímpicos.

 

Durante o período de apronto operacional, foram coordenados 14 estágios de preparação da tropa para atuar em ações de Garantia da Lei e da Ordem; realizados três eventos-teste (provas de saltos ornamentais, ginástica Olímpica e atletismo Paralímpico), além de operações e exercícios no terreno, a fim de adestrar as técnicas de ações em caso de contingência e o emprego em operações de apoio a órgãos governamentais.

 

Com o preparo finalizado, em 1º de julho de 2016, começou a fase de concentração estratégica dos meios e de pessoal, com o emprego de 337  viaturas de diversos tipos e 2024 militares. Além de aturarem como Força de Contingência, mediante ordem, esses homens e mulheres se revezaram na manutenção da segurança e do policiamento ostensivo de vias.  Em quase dois meses, foram executadas 1494 patrulhas a pé e motorizadas; montados postos de vigilância por vias de grande circulação e em locais estratégicos, como estações do transporte rápido de ônibus (BRT); e realizada a proteção de 13 estruturas estratégicas, perfazendo um total de 1320 horas de presença ininterrupta nas ruas da Barra da Tijuca.

 

Os elementos de Guerra Cibernética e de Guerra Eletrônica também contribuíram para a tomada de decisão em tempo real nas ações de segurança. Durante o período dos Jogos, foram disponibilizadas 30 ferramentas de Comando e Controle, com destaque para o Sistema Pacificador e o Sistema Rádio Digital Troncalizado (SRDT). Juntos, esses sistemas produziram mais de 7 mil relatos, 8 mil mensagens eletrônicas, cerca de 230 relatórios de incidentes, mais de 4,5 mil mensagens via rádio e a transmissão de mais de 1,7 mil fotos e vídeos, por meio de smartphones funcionais.

 

Estabelecidas as metas e concluídas as tarefas, o Comando de Defesa Setorial Barra chega ao fim da missão com êxito, que teve mais de um ano de planejamento e preparação. Tudo isso garantiu a plena normalidade das competições e aumentou a percepção de segurança do público durante o maior evento de mídia do mundo e o maior evento esportivo do planeta.