Voltar

Comandante do Exército participa da abertura das ações de Segurança e Defesa dos Jogos

 

Rio de Janeiro (RJ) - Já está valendo: 41 mil militares das Forças Armadas, sendo 22 mil só no Rio do Janeiro, participam das Operações de Segurança e Defesa dos Jogos Rio 2016. Para marcar o início das atividades, foi realizada, no domingo, dia 24 de julho, uma cerimônia no Palácio Duque de Caxias, no centro do Rio de Janeiro.

 

O Ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que esse é o maior esquema de segurança já montado para um grande evento no País. A experiência para atuar nos Jogos Rio 2016 foi acumulada durante os últimos anos, em competições importantes, como a Copa do Mundo, os Jogos Pan-Americanos e os Jogos Mundiais Militares. O trabalho desse longo período de preparação foi apresentado a jornalistas de diversos veículos de comunicação durante a solenidade.

 

O General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, Comandante do Exército, falou com os profissionais de comunicação sobre o planejamento minucioso, que contempla o compartilhamento de informações com órgãos de Inteligência do mundo todo: “Queria destacar dois aspectos fundamentais nessa atividade de preparação: a interoperabilidade, que vem em um crescimento exponencial entre as três Forças; e a capacidade de desenvolvimento operacional interagências. Estamos em um grau de maturidade que nos dá um nível de eficiência excelente”.

 

Sobre a participação do Exército Brasileiro nas operações de Segurança e Defesa durante os Jogos, o General Villas Bôas comentou sobre o efetivo responsável por esse trabalho: “O Exército está empregando, neste momento, o que tem de melhor em recursos humanos, materiais, equipamentos e meios tecnológicos”.

 

Para encerrar o evento, o Comandante do Exército lembrou que o foco, agora, é a atuação dos atletas Olímpicos. “Todo o possível foi realizado nessa preparação. A partir de agora, a estrutura de segurança deixa de ser protagonista. Desejamos que os atletas brilhem e que essa seja a memória que teremos, no futuro, em relação aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.”